Nosso Blog é melhor visualizado no navegador Mozilla Firefox.

Pesquisar este blog

Total de visualizações de página

Google+ Followers

Follow by Email

Perfil

Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Cláudia Andréa Prata Ferreira é Professora Doutora - Categoria: Associado III - do Setor de Língua e Literatura Hebraicas do Departamento de Letras Orientais e Eslavas da Faculdade de Letras da UFRJ.

Translate

Seguidores

sábado, 2 de fevereiro de 2008

A meta educacional na perspectiva de Martin Buber

A META EDUCACIONAL NA PERSPECTIVA DA FILOSOFIA DIALÓGICA DE MARTIN BUBER

Roberta Gulart
Aluna da graduação do curso de Pedagogia da Universidade Federal de Pernambuco e Bolsista do programa de Iniciação Científica PIBIC/UFPE/CNPq

Ferdinand Röhr
Dr. Phil. da Rheinisch-Westfälisch Technischen Hochschule Aachen, Alemanha; professor adjunto do Departamento de Fundamentos Sócio-Filosóficos da Educação e do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Pernambuco.

Resumo: O presente trabalho faz parte da discussão geral sobre a Constituição da Educação enquanto Ciência. A temática apontada, que gira em torno da meta educacional na perspectiva da visão do pensamento buberiano, a partir dos próprios pressupostos filosóficos e teóricos é de fundamental importância para uma Teoria da Educação que se entende como base da Ciência da Educação, sendo que a mesma não pode ser orientada apenas com base nos objetos e metodologias das ciências chamadas da natureza, e por isso mesmo fazem parte de uma discussão cientifica da educação nas perspectivas da hermenêutica e da fenomenologia. A proposta de nosso objeto epistêmico gira em torno da tríade: o educador, o educando e a tarefa pedagógica. Temos com isso o intuito de debater sobre o status cientifico da educação, propondo que a mesma deva ter seu objeto epistêmico próprio, sendo esse objeto o ponto central, de partida e chegada, de qualquer estudo que envolva outras áreas afins como: psicologia, sociologia, filosofia, antropologia, etc.
Esse estudo tem como intenção contribuir numa melhor reflexão à cerca da meta educacional, que parece não ser algo muito definido entre os teóricos da educação e entre os próprios educadores que não têm ao certo qual meta deve guiar sua prática e suas ações no âmbito pedagógico. Essas metas se encontram dentro de uma multiplicidade de fins, voltadas para os interesses dos mais variados grupos políticos, sociais, econômicos, religiosos e étnicos, cada grupo que defina a especificidade do fim educacional a partir de suas visões de mundo. Percebemos com isso que essa multiplicidade de fins também contribui para que nós, estudiosos da área educacional, neguemos que a educação dispõe de um objeto epistêmico próprio. Porém deixamos claro que não temos com isso a pretensão de definir qual seria o fim último da educação, mas sim contribuir e propor aos educadores uma maior reflexão sobre os propósitos que norteiam o ato pedagógico, uma vez que o consideramos um ato intencional e por isso mesmo enfatizamos a importância de pensar sobre sua finalidade. Compreendemos a educação como uma contribuição para a humanização do homem percebendo-o em sua totalidade, um trabalho que proporcione ao mesmo emergir de si aquilo que lhe é essencialmente humano. A meta educacional estaria voltada aqui, mais especificamente, no que concerne a questão da tarefa educacional. Desejamos com isso dar continuidade a nossa proposta de uma educação pautada no princípio da integralidade do Ser.

Nenhum comentário: