Nosso Blog é melhor visualizado no navegador Mozilla Firefox.

Pesquisar este blog

Carregando...

Total de visualizações de página

Google+ Followers

Follow by Email

Perfil

Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Cláudia Andréa Prata Ferreira é Professora Doutora - Categoria: Associado III - do Setor de Língua e Literatura Hebraicas do Departamento de Letras Orientais e Eslavas da Faculdade de Letras da UFRJ.

Translate

Seguidores

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

O Anti-Semitismo em questão: The Believer (2001) e a sua angustiante busca por identidade

Laboratório Tempo Presente (IFCS/UFRJ)

  • TELES, Paulo Roberto Alves. O Anti-Semitismo em questão: The Believer (2001) e a sua angustiante busca por identidade. Revista Eletrônica Boletim do TEMPO, Ano 4, Nº37, Rio, 2009 [ISSN 1981-3384]: Dirigido por Henry Bean, The Believer (2001) apresenta a incrível e angustiante história do jovem Danny Balint (Ryan Gosling), que mesmo sendo judeu, torna-se um feroz skinhead neo-nazista e desenvolve durante a trama uma série de críticas ao povo, o qual pertence. Primeira obra dirigida por Bean, o enredo é inspirado na história real de Daniel Burros, jovem judeu que viveu em Nova York entre os anos de 1937 e 1965, que se tornou um dos mais violentos membros da Ku Klux Klan. Intrigante, este fato foi evidenciado pelo jornalista John McCandlish Phillips pertencente ao New York Times. Após, a revelação de sua origem, Dan Burros cometeu suicídio em 1965. Até aquele momento, ele já havia atuado em grupos de extrema direita como o American Nazi Party fundado pelo ex-combatente George Lincoln Rockwell. O filme apresenta algumas concepções relevantes. A trama envolvida por um sentimento de angústia permanente nos revela uma busca incansável pela identidade, onde é utilizado mecanismo de flash-back como uma forma do protagonista buscar dentro de si, respostas para a sua enorme insatisfação sobre o povo judaico. Os debates teológicos são intensos e questionamentos acerca da postura adotada pelos judeus são levantados, ora através do debate, ora através da violência. Contudo, é interessante citar que apesar do anti-semitismo extremamente agressivo adotado por Danny, a indumentária e os costumes do judaísmo são respeitados. Torna-se claro dessa maneira, que a intolerância promovida pelo personagem não está relacionada à religião propriamente dita, mas a interpretação e o comportamento construído através dela que o povo judeu assumiu para si. Dois momentos podem ser apresentados como pontos-chaves para a interpretação da obra: A agressão cometida pelo protagonista a um jovem estudante judeu e a discussão realizada entre Danny e outros skins com sobreviventes do Holocausto. >>> Leia mais, clique aqui versão HTML ou aqui na versão em PDF.


Nenhum comentário: