Nosso Blog é melhor visualizado no navegador Mozilla Firefox.

Pesquisar este blog

Carregando...

Total de visualizações de página

Google+ Followers

Follow by Email

Perfil

Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Cláudia Andréa Prata Ferreira é Professora Doutora - Categoria: Associado III - do Setor de Língua e Literatura Hebraicas do Departamento de Letras Orientais e Eslavas da Faculdade de Letras da UFRJ.

Translate

Seguidores

domingo, 30 de janeiro de 2011

Melodrama bacharelesco : um estudo estilístico da recepção do caso Dreyfus no Brasil

Melodrama bacharelesco : um estudo estilístico da recepção do caso Dreyfus no Brasil

Milene Suzano de Almeida

Dissertação de mestrado em Teoria e Historia Literária (UNICAMP)

Data da defesa: 26/03/2009

Resumo: O objetivo inicial desta pesquisa foi investigar se a história do caso Dreyfus - na qual o oficial judeu Alfred Dreyfus foi injustamente acusado de crime de traição à pátria - teria estimulado os escritores brasileiros. Porém, diferentemente da França, onde escritores como Anatole France, Marcel Proust e o próprio Émile Zola inseriram eventos do caso em seus romances, por aqui, nada foi encontrado no mesmo nível, apesar da forte presença do caso nos meios de comunicação. Partiu-se então para a análise de crônicas, artigos em revistas e outras fontes no intuito de pensar a recepção a partir de um estilo de escrita comum. Este estilo de escrita teve como fonte teórica principal o modo melodramático elaborado por Peter Brooks (1995), a partir do qual foi feita uma primeira análise dos textos encontrados nos arquivos visitados (Casa de Rui Barbosa, Arquivo Edgar Leuenroth e Arquivo Histórico Judaico Brasileiro). Feita esta primeira abordagem, buscou-se agregar um outro elemento, desta vez restrito ao universo brasileiro: um estilo bacharelesco (advindo das escolas de direito) que pareceu presente na maior parte dos textos analisados. Por fim, tentou-se compor as características deste híbrido, denominado aqui como "melodrama bacharelesco" no intuito de pensar um todo possível da recepção do caso Dreyfus no Brasil.

Nenhum comentário: