Nosso Blog é melhor visualizado no navegador Mozilla Firefox.

Pesquisar este blog

Carregando...

Total de visualizações de página

Google+ Followers

Follow by Email

Perfil

Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Cláudia Andréa Prata Ferreira é Professora Doutora - Categoria: Associado III - do Setor de Língua e Literatura Hebraicas do Departamento de Letras Orientais e Eslavas da Faculdade de Letras da UFRJ.

Translate

Seguidores

domingo, 15 de maio de 2011

A interpretação tipológica da Bíblia e seus reflexos na representação do povo judeu

A interpretação tipológica da Bíblia e seus reflexos na representação do povo judeu

Marta Bernadete Frolini de Aguiar Marczyk

Tese de doutorado em Língua Hebraica, Literatura e Cultura Judaica (USP)

Data da defesa: 07/10/2010

Resumo: A presente pesquisa tem por objetivo apresentar a tipologia bíblica como fator de influência sobre a representação do povo judeu na civilização cristã. Para isso, busca-se descrever o procedimento de interpretação tipológica, enquanto forma de leitura e de composição do cânone escritural do cristianismo, salientando que a tipologia bíblica teve um papel decisivo na separação entre o credo cristão e o credo judaico. Observa-se a complexidade dessa ruptura, na qual houve uma legitimação dos escritos nucleares da tradição textual judaica, incorporando-os na Bíblia, paralelamente à desautorização das práticas de leitura dos judeus. Busca-se, recorrendo à formação do cânone cristão e aos escritos de antigos padres, Justino e Tertuliano, demonstrar que a tipologia bíblica envolve, além dos fatores interpretativos, uma apreciação negativa da figura do judeu, visto que, na ótica cristã, esse povo viola o princípio de dependência entre os assim chamados Antigo e Novo Testamentos. Observam-se algumas encíclicas papais, com o intuito de examinar a tradição cristã em seu estatuto de afastamento do judaísmo. Nesses escritos, constata-se que se mantêm a prescrição da tipologia bíblica e a recriminação de outras formas interpretativas. E, nos escritos contemporâneos de propagação do ódio contra os judeus, os "Protocolos dos Sábios de Sião" e os discursos de seus apologistas, percebe-se que a lógica da tipologia bíblica é uma forma particular e específica de caracterizar esse povo, que se sustenta ao lado, mas diferentemente, das representações depreciativas supostamente históricas. Propõe-se também um panorama da tipologia bíblica nas práticas literárias, percorrendo-se os estudos de Erich Auerbach e Northrop Frye, os quais demonstram sua influência bimilenar sobre a literatura ocidental. Sob essa perspectiva, apresentam-se duas obras de autores da literatura brasileira, um romance de José de Alencar e um poema de Jorge de Lima, que revelam dois modos pelos quais a tipologia bíblica se reflete na construção da imagem do judeu. A pesquisa, em seu conjunto, demonstra o quão relevante é reconhecer que a religião cristã consolidou-se historicamente a partir da cisão com o judaísmo e que, por essa razão, sustenta práticas de leitura que desautorizam as práticas da religião judaica. Mostra, dessa forma, que, muito frequentemente, esse ato de desautorização se estende dos preceitos religiosos para a comunidade judaica, formando e propagando representações depreciativas do povo judeu.

Palavras-chave: Cristianismo, Literatura brasileira, Povo judeu, Representação, Tipologia bíblica, Judaísmo

Nenhum comentário: