Nosso Blog é melhor visualizado no navegador Mozilla Firefox.

Pesquisar este blog

Total de visualizações de página

Google+ Followers

Follow by Email

Perfil

Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Cláudia Andréa Prata Ferreira é Professora Doutora - Categoria: Associado III - do Setor de Língua e Literatura Hebraicas do Departamento de Letras Orientais e Eslavas da Faculdade de Letras da UFRJ.

Translate

Seguidores

sexta-feira, 25 de janeiro de 2008

'Holocausto deve ser lembrado por todas as gerações' (2)

Extraído de:
Jornal Alef - Edição 1.127 – de 25 de janeiro de 2008.
Link:
http://www.jornalalef.com.br/


Palavras do presidente Luiz Inácio Lula da Silva
proferidas durante a cerimônia pelo
“Dia Internacional de Lembrança às Vítimas do Holocausto”

"Participo deste encontro pelo terceiro ano consecutivo,
pois acho fundamental rememorar o aparato de terror
empreendido pelos nazistas. Lembranças tristes e
trágicas, como o Holocausto, não devem ser
apagadas e, sim, transmitidas a outras gerações"




A FIERJ e o Centro de Informações da Organização das Nações Unidas (ONU) promoveram hoje de manhã (dia 25 de janeiro), no Palácio Itamaraty, uma emocionante cerimônia pelo “Dia Internacional de Lembrança às Vítimas do Holocausto”, instituído pela ONU.

O ato cívico contou com a participação do presidente Lula, dos governadores Sergio Cabral, do Rio de Janeiro, e Jacques Wagner, da Bahia; e de Giancarlo Summa, diretor do Centro de Informações da ONU para o Brasil, além de embaixadores, militares, parlamentares, lideranças religiosas e comunitárias, entre outras autoridades.

Em seu discurso, o presidente Lula lembrou a importância de heróis que salvaram judeus, particularmente o embaixador Souza Dantas, e ressaltou que o assunto Holocausto deve ser transmitido aos mais jovens como um exemplo de intolerância e desrespeito aos direitos humanos: "o Holocausto deve ser recordado com indignação por nós, pelos nossos filhos, pelos filhos dos nossos filhos e por todas as gerações futuras". Ele também destacou o papel da educação na construção de um mundo mais justo, humano e solidário e enfatizou que apenas a atuação cotidiana propiciará resultados concretos contra a discriminação e o preconceito. Neste sentido, informou que, este ano, ocorrerá um "mutirão de debates" sobre direitos humanos com o objetivo de provocar a reflexão da sociedade: "nós devemos promover os valores mais elevados da solidariedade: paz e tolerância. E transformar esses valores em ações concretas contra o anti-semitismo, contra os preconceitos de raça, religião e classe. Hoje o Brasil é um dos poucos países em que não há prescrição nem fiança para crimes de racismo".

Exposição "Holocausto nunca mais"
Durante o evento, foi inaugurada a exposição "Holocausto nunca mais", organizada pelo Museu Judaico do Rio de Janeiro, e que poderá ser visitada até o dia 15 de fevereiro. As 50 imagens, algumas inéditas, estão acompanhadas de textos e comentários sobre o Holocausto, mostrando desde a subida de Adolf Hitler ao poder até judeus utilizados pelos nazistas como cobaias médicas nos campos de concentração.

Nenhum comentário: