Nosso Blog é melhor visualizado no navegador Mozilla Firefox.

Pesquisar este blog

Total de visualizações de página

Google+ Followers

Follow by Email

Perfil

Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Cláudia Andréa Prata Ferreira é Professora Doutora - Categoria: Associado III - do Setor de Língua e Literatura Hebraicas do Departamento de Letras Orientais e Eslavas da Faculdade de Letras da UFRJ.

Translate

Seguidores

sábado, 2 de fevereiro de 2008

Judaísmo e Medicina (Moacyr Scliar)

"Da Bíblia à psicanálise: saúde, doença e medicina na cultura judaica" Moacyr Jaime Scliar

Tese apresentada com vistas à obtenção do Título de Doutor.
Orientador: Luís Fernando Ferreira Rocha da Silva
Fundação Oswaldo Cruz
Escola Nacional de Saúde Pública

RESUMO

INTRODUÇÃO

CAPÍTULO 1 - AS RAÍZES HISTÓRICAS DA CULTURA JUDAICA

CAPÍTULO 2 - A FASE TEOLÓGICA OU BÍBLICA

CAPÍTULO 3 - A FASE TEOLÓGICO-FILOSÓFICA, OU TALMÚDICA

CAPÍTULO 4 - FASE MÉDICO-FILOSÓFICA

CAPÍTULO 5 - MODERNIDADE, JUDAISMO E MEDICINA

CAPÍTULO 6 - A DOENÇA E O MÉDICO NO IMAGINÁRIO JUDAICO

CAPÍTULO 7 - PSICANÁLISE E JUDAÍSMO

CAPÍTULO 8 - PSICANÁLISE, JUDAISMO, LITERATURA

CAPÍTULO 9 - VOLTA À BÍBLIA

CONCLUSÕES

BIBLIOGRAFIA

Resumo: São examinadas as idéias sobre saúde, enfermidade e prática médica na cultura judaica. Como em outras culturas, tais idéias são moduladas pelo contexto histórico, social, econômico e cultural. Quatro fases ou períodos são identificados nesta trajetória, que abrange um período não inferior a três milênios: 1. Fase teológica ou bíblica; 2. Fase teológico-filosó fica, ou talmúdica; 3. Fase médico-filosófica; 4. Fase moderna. Tais fases ou períodos correspondem, aproximadamente a três modelos de pensamento médico que se sucederam na cultura ocidental: mágico-religioso, empírico e científico. Em cada fase ou período há uma figura polarizadora do pensamento sobre saúde e doença e da prática médica: o sacerdote, o rabino, o filósofo, o médico com formação científica, codificada. As idéias prevalentes em cada fase são examinadas com base em textos tradicionais, além de textos filosóficos, científicos, literários, bem como elementos do folclore. Particular atenção é dada à figura de Sigmund Freud, não apenas por sua interpretação psicanalítica da trajetória judaica, como também, e principalmente, porque a sua própria evolução científica e intelectual reproduz, em sentido inverso, a trajetória acima descrita.

Um comentário:

Cláudia Andréa Prata Ferreira disse...

Outro link para a tese - versão completa em um único arquivo: http://portalteses.icict.fiocruz.br/pdf/FIOCRUZ/1999/scliarmjd/capa.pdf