Nosso Blog é melhor visualizado no navegador Mozilla Firefox.

Pesquisar este blog

Carregando...

Total de visualizações de página

Google+ Followers

Follow by Email

Perfil

Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Cláudia Andréa Prata Ferreira é Professora Doutora - Categoria: Associado III - do Setor de Língua e Literatura Hebraicas do Departamento de Letras Orientais e Eslavas da Faculdade de Letras da UFRJ.

Translate

Seguidores

sábado, 4 de julho de 2009

Reality show turco tentará converter ateus


Os artigos sobre Israel sempre atualizados você encontra aqui.



Destaque

BBC Brasil (03/07/2009)

  • Reality show turco tentará converter ateus: Um reality show da Turquia mostrará sacerdotes de quatro religiões tentando converter ateus convictos e premiará aqueles que passarem a ter uma religião com uma viagem de peregrinação. O novo programa, chamado Tövbekarlar Yarisiyor (algo como "Penitentes Competem", em tradução livre) coloca juntos um imã, um rabino, um monge budista e um sacerdote da Igreja Ortodoxa Grega que tentarão converter dez competidores.


JB (04/07/2009)


FSP (04/07/2009)


FSP online (04/07/2009)

  • Mundo
  • Ecclestone elogia Hitler e ditaduras: O chefão da Fórmula 1, Bernie Ecclestone, 78, elogiou o ditador Adolf Hitler e revelou sua preferência pelos regimes totalitários em relação às democracias, em entrevista ao jornal britânico "The Times". Para ele, os políticos de hoje são fracos para conseguir comandar e as democracias "não fazem muitas coisas boas para muitos países". O multimilionário britânico, que detém os direitos comerciais da F-1, elogiou as virtudes das lideranças consideradas "mais fortes". "Apesar de parecer terrível dizer isto, com exceção do fato de Hitler ter se deixado levar em um determinado momento e de fazer coisas que não sei se realmente queria fazer ou não, o certo é que ele estava em uma posição de mandar em muitos e conseguir com que fizessem as coisas", afirmou. "No final ele acabou se perdendo, e portanto não foi um bom ditador, porque ou sabia o que estava acontecendo [sobre o Holocausto] e insistiu nisso ou simplesmente foi condescendente", disse o britânico. "De qualquer maneira, não agiu como um ditador."


G1 (04/07/2009)


Estadão (04/07/2009)


UOL Internacional / Mídia Global (04/07/2009)


Deutsche Welle (03/07/2009)


Leia mais:


Veja mais:

03/07/2009

02/07/2009

Nenhum comentário: