Nosso Blog é melhor visualizado no navegador Mozilla Firefox.

Pesquisar este blog

Carregando...

Total de visualizações de página

Google+ Followers

Follow by Email

Perfil

Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Cláudia Andréa Prata Ferreira é Professora Doutora - Categoria: Associado III - do Setor de Língua e Literatura Hebraicas do Departamento de Letras Orientais e Eslavas da Faculdade de Letras da UFRJ.

Translate

Seguidores

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Obra de Walter Benjamin é essencial para pensar "século de catástrofes"

Deutsche Welle (30/06/2010): Obra de Walter Benjamin é essencial para pensar "século de catástrofes": Em entrevista, Márcio Seligmann-Silva explica por que Walter Benjamin é cultuado na América Latina como uma figura simbólica e de que forma sua obra tem auxiliado na construção de uma "cultura da memória" no continente. No contexto de um simpósio sobre a atual recepção da obra do pensador alemão Walter Benjamin (1892-1940), que aconteceu na terça-feira (29/06), no Instituto Ibero-Americano de Berlim, o pesquisador brasileiro Márcio Seligmann-Silva foi convidado a participar de uma mesa de debates sobre os reflexos da obra benjaminiana nas sociedades europeias e latino-americanas, sob as perspectivas do urbanismo, da política e da crítica literária. A contribuição de Seligmann-Silva no simpósio é uma reflexão sobre a "teoria da imagem e da escritura em Benjamin", na qual o teórico brasileiro traça paralelos entre o discurso de Benjamin e os de Vilém Flusser (1920-1991) e Haroldo de Campos (1931-2003). Dentro do projeto que une os três, diz Seligmann-Silva, "delineou-se uma revalorização do elemento escritural da imagem e também, de modo inverso, revelou-se o lado imagético da escrita". Leia abaixo a íntegra da entrevista, em que Seligmann-Silva fala sobre a "espécie de anarquismo melancólico de esquerda" que permeia a obra benjaminiana, bem como sobre a posição de vanguarda de Benjamin ao pensar as Humanidades de modo transdisciplinar – prática hoje tão em voga – já nos idos dos anos 1930. >>> Leia mais, clique aqui.

Nenhum comentário: