Nosso Blog é melhor visualizado no navegador Mozilla Firefox.

Pesquisar este blog

Carregando...

Total de visualizações de página

Google+ Followers

Follow by Email

Perfil

Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Cláudia Andréa Prata Ferreira é Professora Doutora - Categoria: Associado III - do Setor de Língua e Literatura Hebraicas do Departamento de Letras Orientais e Eslavas da Faculdade de Letras da UFRJ.

Translate

Seguidores

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Israel x Gaza x Oriente Médio (212) .... Trégua violada antes de mediador chegar

O Globo, Mundo, página 26, em 28/01/2009.


O Globo, Mundo, página 27, em 28/01/2009.


Trégua violada antes de mediador chegar

Israel reage a morte de soldado na fronteira com Gaza e mata três palestinos


Renata Malkes

Especial para O GLOBO


JERUSALÉM. Poucas horas antes da chegada do novo enviado americano ao Oriente Médio, George Mitchell, Israel voltou a bombardear a Faixa de Gaza em mais uma violação do frágil cessarfogo decretado há dez dias.


Segundo fontes médicas palestinas, um civil morreu e outro ficou ferido por disparos da artilharia israelense. No início da madrugada de hoje, aviões bombardearam três túneis na fronteira entre Gaza e o Egito.


Os ataques foram retomados numa resposta à morte de um soldado israelense numa patrulha na fronteira entre Israel e Gaza.


Militantes do Hamas colocaram uma bomba na estrada, próximo ao posto de controle de Kissufim, numa explosão que também deixou três militares feridos.


Israel determinou o fechamento de todas as fronteiras do território palestino e a ministra do Exterior, Tzipi Livni, acusou o Hamas pelo incidente.


— Não importa quem disparou. Se houve qualquer incidente na fronteira ou contrabando de armas, Israel vai reagir imediatamente. O Hamas controla a Faixa de Gaza e é responsável por tudo. Israel não vai se conter diante do terror. Não se conteve antes da operação militar e não vamos nos conter agora — ameaçou Livni, candidata do partido Kadima ao cargo de premier israelense.


Fatah dá sinais de reconciliação com Hamas

Testemunhas ouvidas pela agência de notícias palestina “Maan” contam que homens armados foram vistos colocando um lançador de granadas antitanque na fronteira, próximo ao distrito de Al Farahin. O artefato explodiu quando uma patrulha israelense passava pela região, nas primeiras horas da manhã.


A artilharia israelense abriu fogo contra a região e um agricultor palestino morreu baleado. Em Khan Yunis, helicópteros da Força Aérea bombardearam supostos alvos do Hamas e mais dois palestinos morreram. Um deles seria membro do Hamas.


Num indício de que os esforços pela reconciliação entre o Hamas e o partido moderado Fatah podem estar progredindo, na Cisjordânia, a Autoridade Nacional Palestina (ANP) revelou estar desenvolvendo um amplo plano de reconstrução na Faixa de Gaza. Segundo o ministro do Planejamento da ANP, Samir Abdullah, o projeto deve ser apresentado oficialmente no dia 26.


Pelo menos seis mil casas serão reconstruídas com o dinheiro arrecadado pela ANP em doações e áreas industriais de Gaza passariam por uma ampla reforma.


— Todo o trabalho de reconstrução de Gaza depende da ajuda operacional da Cisjordânia, além das verbas dos países árabes e de doações internacionais.


Será um plano para mudar todos os aspectos da vida em Gaza, mas ainda é cedo para discutir sua implementação — despistou o ministro.


Em meio à escalada da tensão e às altas expectativas pela nova política externa do presidente dos EUA, Barack Obama, o enviado americano George Mitchell estreou no cargo com uma parada no Cairo, onde discutiu com o governo do presidente, Hosni Mubarak, alternativas para um cessar-fogo duradouro entre Israel e o Hamas. Hoje ele chega a Jerusalém para reunir-se com o premier israelense, Ehud Olmert, e faz ainda uma visita à Cisjordânia antes de seguir para a Jordânia e a Arábia Saudita.



O Globo online (28/01/2009)


IHU (28/01/2009)

  • Ofensiva israelense teve sucesso parcial: No dia 27, a aviação de Israel iniciou o ataque aéreo contra posições do Hamas na Faixa de Gaza. Apenas quatro minutos mais tarde os caças F-16/60 empregados na operação já haviam destruído 26% dos túneis usados pelos militantes para trazer do Egito armas, pessoal e suprimentos. No fim da ofensiva “Chumbo Grosso”, 22 dias depois, a Força Aérea israelense contabilizava 4.500 saídas de combate - cerca de 8,5 por hora (dia e noite) - e marcava 92% de aproveitamento efetivo. A reportagem é de Roberto Godoy e publicada pelo jornal O Estado de S. Paulo, 28-01-2009.
  • A visão sagrada de Israel: "Duas coisas chamam a atenção - de forma especial - nesta última guerra: a inclemência de Israel, e sua indiferença com relação às leis e às críticas da comunidade internacional. Duas posições tradicionais da política externa israelita, que têm se radicalizado cada vez mais, e são quase sempre explicadas "escalada aos extremos" do próprio conflito", escreve José Luis Fiori, professor titular do Instituto de Economia da UFRJ, em artigo publicado no jornal Valor, 28-01-1009. "Mas - completa Fiori - existe um aspecto desta história que quase não se menciona, ou então é colocado num segundo plano, como se as "visões sagradas" do mundo e da história fossem uma característica exclusiva dos países islâmicos".


FSP online (28/01/2009)


FSP (28/01/2009)


JB online (28/01/2009)


CBN (28/01/2009)


Em Cima da Hora (28/01/2009)


G1 (28/01/2009)



Correio Braziliense (28/01/2009)


Zero Hora (28/01/2009)


Estadão (28/01/2009)



Veja mais:


Blogs e sites:

Textos / Artigos / Reportagens / Vídeos (ordem alfabética)


Comunidade na TV (FIERJ)


Notícias:

28/01/2009

Israel x Gaza x Oriente Médio (211) .... Ameaça de retomada da guerra




Nenhum comentário: