Nosso Blog é melhor visualizado no navegador Mozilla Firefox.

Pesquisar este blog

Carregando...

Total de visualizações de página

Google+ Followers

Follow by Email

Perfil

Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Cláudia Andréa Prata Ferreira é Professora Doutora - Categoria: Associado III - do Setor de Língua e Literatura Hebraicas do Departamento de Letras Orientais e Eslavas da Faculdade de Letras da UFRJ.

Translate

Seguidores

sábado, 13 de junho de 2009

Com vitória de Ahmedinejad, a nova escalação do Oriente Médio está completa

Os artigos sobre Israel sempre atualizados você encontra aqui.



Atenção

  • Newseum: The Newseum displays these daily newspaper front pages in their original, unedited form. Some front pages may contain material that is objectionable to some visitors. Viewer discretion is advised.


Destaque - Lançamento!!!!!!!!

Revista Eletrônica do NIEJ (Núcleo Interdisciplinar de Estudos Judaicos / UFRJ)


Curiosidade

O Globo online (12/06/2009)



O Globo, Mundo pág.24, em 13/06/2009.




O Globo, Mundo pág.26, em 13/06/2009.


Ódio antissemita preocupa os americanos

Episódios de violência e de propaganda contra judeus na internet fazem autoridades aumentarem segurança


Gilberto Scofield Jr.

Correspondente


WASHINGTON. O aposentado James Wenneker von Brunn, 88 anos — integrante de um grupo defensor da supremacia branca que matou com um tiro no peito, na tarde de quarta-feira, o guarda de segurança Stephen T.


Johns na entrada do Museu do Holocausto, em Washington — seguiu um rastro virtual e real de virulência antissemita que só vem crescendo nos últimos meses nos EUA.


No Hyundai do assassino, estacionado próximo ao museu, a polícia descobriu um caderno com alguns pensamentos de Von Brunn, que foi ferido e preso logo em seguida: “Você quer minhas armas — esta é a maneira que você vai tê-las”, escreveu o assassino. “O Holocausto é uma mentira... Obama faz o que seus donos judeus mandam ele fazer....


A Primeira Emenda está abolida — de hoje em diante”, completou ele, referindo-se à emenda à Constituição que garante a liberdade de religião, expressão, imprensa e reunião.


Um mês depois de a polícia de Nova York ter frustrado tentativas de ataques terroristas a duas sinagogas na cidade (o Centro Judeu e o Templo de Riverdale), o Departamento de Segurança Nacional e o FBI (a polícia federal dos EUA) decidiram ontem mobilizar as autoridades policiais das principais cidades do país com o objetivo de aumentar a segurança em sinagogas e universidades patrocinadas por grupos judeus.


FBI conhecia histórico antissemita de assassino

Mas nada espantou mais os americanos do que descobrir ontem que o FBI já conhecia o histórico de ódio e racismo de Von Brunn e nada fez. Afinal, o direito à livre expressão nos Estados Unidos é garantido na Constituição, ainda que a expressão em questão sejam mensagens de ódio racista e antissemita propagadas na internet.


Outro episódio de destaque na mídia americana esta semana foram as declarações do pastor Jeremiah A. Wright Jr.


— de cuja paróquia o presidente dos EUA, Barack Obama, chegou a fazer parte antes de romper com o religioso radical — ao jornal “The Daily Press”. Ao ser perguntado pelo repórter se havia conversado recentemente com o presidente, o polêmico reverendo Wright respondeu: — Os judeus não vão deixá-lo falar comigo. Eu disse à minha pequena filhinha que eu só falaria com o presidente daqui a cinco anos, quando ele estiver em baixa, ou em oito anos, quando já não estiver no comando.


Num jantar para arrecadação de fundos dos Comitês Republicanos do Senado e da Câmara na segunda-feira, o ator Jon Voight fez um duro discurso contra Obama, acusando-o de ser um “falso profeta”, responsável por todos os problemas americanos atuais, e de tentar criar uma imagem de “monstro do passado” para o ex-presidente George W. Bush. E colocou o tema de Israel na discussão, dizendo que “Israel ainda é o paraíso da segurança para os judeus”, numa insinuação de que Obama poderia ser um presidente antissemita por criticar a ocupação israelense na Palestina.


O colunista do “New York Times” e prêmio Nobel de Economia, Paul Krugman, acusou ontem a mídia conservadora e o establishment político dos EUA de fomentarem o ódio em grupos de extrema-direita no país, exatamente como no início do governo de Bill Clinton, nos anos 90, um sentimento que culminou no ataque terrorista em Oklahoma City, que deixou 168 mortos.



O Globo online (13/06/2009)


Reinaldo Azevedo (13/06/2009)


Revista Veja (Edição 2117, 17 de junho de 2009)


FSP (13/06/2009)


FSP online (13/06/2009)


Estadão (13/06/2009)


JB (13/06/2009)


G1 (13/06/2009)


Em Cima da Hora (13/06/2009)


Correio Braziliense (13/06/2009)


Zero Hora (13/06/2009)


IHU (13/06/2009)


Deutsche Welle (13/06/2009)

  • Pesquisadores descobrem milhares de centros nazistas de detenção: A Encyclopaedia of Camps and Ghettos 1933-1945 (Enciclopédia de Campos e Guetos 1933-1945) pretende mapear os campos de concentração, os campos de prisioneiros de guerra, as penitenciárias e outros locais de perseguição mantidos pelos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial. Em entrevista à Deutsche Welle, o diretor do projeto, Geoffrey Megargee, do Museu do Holocausto em Washington, afirmou estar surpreso com o alcance da rede de repressão nazista.


UOL Internacional / Mídia Global (13/06/2009)


Pletz (12/06/2009)


Revista Época (12/06/2009)


Gazeta do Povo (12/06/2009)


BBC Brasil (12/06/2009)



Leia mais:



Veja mais:

12/06/2009)

11/06/2009


Nenhum comentário: