Nosso Blog é melhor visualizado no navegador Mozilla Firefox.

Pesquisar este blog

Carregando...

Total de visualizações de página

Google+ Followers

Follow by Email

Perfil

Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Cláudia Andréa Prata Ferreira é Professora Doutora - Categoria: Associado III - do Setor de Língua e Literatura Hebraicas do Departamento de Letras Orientais e Eslavas da Faculdade de Letras da UFRJ.

Translate

Seguidores

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Palestinos apoiam ambição nuclear do Irã

Os artigos sobre Estudos Judaicos e Israel sempre atualizados você encontra aqui.



Destaque 1


Destaque 2

  • WebMosaica No 2 (2009): Regina Zilberman: Do Bom Fim para o mundo - Entrevista com Moacyr Scliar: Moacyr Jaime Scliar é um destacado escritor judeu brasileiro, membro da Academia Brasileira de Letras desde 2003. Nascido em Porto Alegre em 23 de março de 1937, formou-se em Medicina na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, em 1962, e atuou no campo da saúde pública como médico sanitarista. Concluiu o doutorado em Ciências na Escola Nacional de Saúde Pública, do Rio de Janeiro, em 1999, com a tese Da Bíblia à psicanálise: saúde, doença e medicina na cultura judaica.Sua obra abrange perto de 80 livros (romances, ensaios, crônicas, contos e histórias infantis), publicados em diversos países. Alguns de seus textos foram adaptados para cinema, teatro e televisão. Sua obra é influenciada por sua condição de filho de imigrantes e de judeu, assim como por sua formação como médico de saúde pública. Scliar escreveu seus primeiros textos de ficção ainda adolescente e estreou em livro em 1962, com Histórias de um médico em formação, dando início a uma trajetória editorial que soma quase cinquenta anos. Nesse período, lançou diversos livros de contos, romances, novelas, ensaios, crônicas e literatura juvenil, gênero para o qual contribuiu com aproximadamente trinta diferentes volumes. Os títulos de muitas de suas obras sugerem de imediato seu compromisso com a cultura judaica, assunto de romances, contos, crônicas e ensaios. Por isso, a entrevista a seguir enfatiza os temas vinculados ao judaísmo, sem, contudo, perder de vista sua relação com a criação literária que notabiliza o escritor. A entrevista a seguir foi realizada por correio eletrônico.


Destaque 3


Bom Dia Brasil (22/02/2010)

  • Israel apresenta nova arma contra o terrorismo: Um esquedrão de aviões não-tripulados, com capacidade para sobrevoar o Irã, será utilizado em missões de espionagem. Uma versão mais simples da aeronave foi usada na ofensiva contra o Hamás.


O Globo (22/02/2010)


FSP (22/02/2010)


Palestinos apoiam ambição nuclear do Irã


Apesar de sujeito a graves consequências no caso de um ataque atômico a Israel, povo é exceção no mundo árabe e respalda plano de Teerã


Palestinos, rachados entre Hamas e Fatah, concordam que pressões internacionais acerca da questão nuclear devem começar por Israel


MARCELO NINIO

ENVIADO ESPECIAL A RAMALLAH


Na movimentada praça dos Leões, coração da cidade palestina de Ramallah, na Cisjordânia, uma placa informa com precisão a curta distância até Jerusalém: 14,63 km.


Uma ameaça nuclear a Israel provavelmente teria repercussões devastadoras aqui e no resto dos territórios palestinos, mesmo que atingisse centros urbanos israelenses mais distantes que Jerusalém.


Apesar disso, entre os palestinos as opiniões e temores em relação à possibilidade de que o Irã venha a ter a bomba atômica são bem menos categóricos que em Israel, onde ela é vista pelo governo e pela maioria da população como nada menos que uma ameaça existencial.


Rachados entre o secular Fatah, que administra a Cisjordânia, e o movimento islâmico Hamas, que controla a faixa de Gaza, os palestinos parecem concordar em um ponto quando falam do Irã: se é para evitar a nuclearização do Oriente Médio, a pressão deveria começar por Israel.


"Armas nucleares são má notícia em qualquer circunstância, mas o Ocidente não tem credibilidade para pressionar o Irã enquanto faz vista grossa para Israel", diz Ghassan Khatib, político veterano, atualmente diretor do escritório de imprensa da Autoridade Nacional Palestina (ANP).


Israel mantém uma política de ambiguidade, jamais admitindo ou negando possuir armas atômicas. Entre os especialistas há consenso de que o país é uma potência nuclear há décadas. Alguns especulam que seu arsenal poderia ter 200 ogivas nucleares ou mais.


A ANP mantém relações turbulentas com o Irã devido ao apoio de Teerã ao Hamas, que inclui o fornecimento de armas. A liderança do Hamas já declarou mais de uma vez que retaliará com violência caso Israel cumpra suas ameaças de atacar as instalações nucleares iranianas. O libanês Hizbollah, misto de milícia e partido político e outro aliado radical de Teerã, fez o mesmo alerta.


Embora a hegemonia nuclear regional de Israel incomode a vizinhança, pesquisas de opinião mostram que, na maioria dos países, a perspectiva de um Irã armado com bombas atômicas é vista com temor.


A desconfiança tem muito a ver com uma enraizada rivalidade entre árabes, em sua maioria muçulmanos sunitas, e os persas, xiitas, mas é motivada principalmente pelo projeto de supremacia regional do atual regime de Teerã.


Os palestinos são a única exceção no mundo árabe: segundo as pesquisas, a maioria apoia as ambições nucleares iranianas e desconfia do Ocidente. Sobretudo depois que os EUA invadiram o Iraque sob a justificativa de que o país tinha armas atômicas, que depois se revelaram inexistentes.


"Acho que só querem um pretexto para atacar o Irã, assim como fizeram com o Iraque", diz à Folha o professor de ensino médio Faissal, interrompendo o passo apressado no agitado centro de Ramallah.


Apesar de manifestar solidariedade com o Irã, ele descarta a tese de que Teerã evitaria um ataque a Israel por medo de atingir muçulmanos. "Eles não estão nem um pouco preocupados com os palestinos, nós somos sunitas, lembra?".



FSP online (22/02/2010)


Estadão (22/02/2010)


JB (22/02/2010)


CB (22/02/2010)


Terra (22/02/2010)


G1 (22/02/2010)


Último Segundo (22/02/2010)


Aurora Digital (22/02/2010)


Em Cima da Hora (21/02/2010)


Deutsche Welle (21/02/2010)


BBC Brasil (21/02/2010)


Leia mais:


Veja mais:

21/02/2010

20/02/2010

19/02/2010

18/02/2010

17/02/2010


Nenhum comentário: