Nosso Blog é melhor visualizado no navegador Mozilla Firefox.

Pesquisar este blog

Carregando...

Total de visualizações de página

Google+ Followers

Follow by Email

Perfil

Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Cláudia Andréa Prata Ferreira é Professora Doutora - Categoria: Associado III - do Setor de Língua e Literatura Hebraicas do Departamento de Letras Orientais e Eslavas da Faculdade de Letras da UFRJ.

Translate

Seguidores

sábado, 23 de junho de 2012

Aplicativo permite visita a Amsterdã pelos olhos de Anne Frank


Deutsche Welle (21/06/2012): Aplicativo permite visita a Amsterdã pelos olhos de Anne Frank: Anne Frank deixou seus rastros por toda a capital holandesa. O museu que leva seu nome desenvolveu agora um aplicativo que liga o passado ao presente, oferecendo ao usuário um novo olhar sobre diversos pontos da cidade. Desde 1960 que o Museu Anne Frank vem recontando a história do Holocausto através da narrativa pessoal da jovem judia, que, junto com sua família, se manteve escondida dos nazistas durante anos para, por fim, ser deportada assassinada num campo de concentração. Agora, o museu localizado na capital holandesa lançou um aplicativo para celulares, que guia os visitantes pela cidade, sob a ótica de Anne Frank. A diretora de mídias digitais da instituição, Ita Amahorseija, explica que o objetivo da app é tornar a história de Anne Frank relevante para a população de Amsterdã hoje. "Queremos que as pessoas estabeleçam uma conexão entre o passado e o presente, de forma que quando estiverem na estação central ou perto de suas próprias casas e virem uma dessas imagens, no contexto da rua como ela é hoje, irão mesmo assim se conscientizar de que isso de fato aconteceu ali", diz. Anne Frank foi uma entre as milhões de vítimas do Holocausto. Ela escreveu o famoso diário enquanto ficou escondida em um prédio de Amsterdã, junto de sua família, durante a ocupação nazista na Holanda. Apenas seu pai Otto – e seu diário – sobreviveram ao Holocausto. >>> Leia mais, clique aqui.

Nenhum comentário: