Nosso Blog é melhor visualizado no navegador Mozilla Firefox.

Pesquisar este blog

Carregando...

Total de visualizações de página

Google+ Followers

Follow by Email

Perfil

Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Cláudia Andréa Prata Ferreira é Professora Doutora - Categoria: Associado III - do Setor de Língua e Literatura Hebraicas do Departamento de Letras Orientais e Eslavas da Faculdade de Letras da UFRJ.

Translate

Seguidores

domingo, 20 de setembro de 2009

Israel e o povo judeu no século XXI: o desafio de uma decisão consciente


Os artigos sobre Israel sempre atualizados você encontra aqui.



Destaque

WebMosaica Vol. 1, No 1 (2009)

  • Nancy Rozenchan: E nos lembraremos de todos...: A literatura hebraica dos últimos sessenta anos estendeu-se por uma ampla gama de temas e abordagens que abrangem todos os campos da existência do país e da “israelidade”. Considerando que este conceito, durante o período mencionado, sofreu e sofre uma grande influência dos acontecimentos ligados às principais lutas do país, da Guerra da Independência às guerras no Líbano, este trabalho, ao rever a literatura do período, fixou-se em obras que servem para dissecar como os escritores selecionados entenderam os graves fatos ligados a elas e a respectiva repercussão de suas obras.
  • Avraham Milgram: Reflexões sobre o sionismo e Israel: Este trabalho apresenta algumas reflexões sobre a emergência do sionismo herzliano, à luz das discriminações e do antissemitismo vigentes na Europa no final do século XIX, examinando suas transformações ao longo do tempo. Mostra a oposição inicial dos judeus ortodoxos e, após o final da Segunda Guerra Mundial, quando milhões de judeus foram dizimados, o reforço à tese sionista pelo processo de descolonização dos países do norte da África e pela consequente expulsão das comunidades judaicas para Israel. O sionismo não conseguiu resolver a questão judaica com o estabelecimento do Estado de Israel há 60 anos, uma vez que os mecanismos ideológicos antissemitas que continuam a culpar os judeus por algo que não cometeram não perdem vitalidade; os judeus da diáspora vêm sendo associados ao Estado de Israel e aos desígnios de sua política como se fossem responsáveis pela mesma. Desde seus primórdios, o movimento Sionista e o Estado de Israel se confrontaram com a questão da população árabe. Seis décadas após a independência, a integração e normalização de Israel no Oriente Médio depende em grande parte da sua inserção na região, da sua aceitação e legitimidade para ser um Estado Judeu e da pacificação de suas relações com o povo palestino e da resolução das questões vitais e pendentes do conflito.
  • Paulo Geiger: Israel e o povo judeu no século XXI: o desafio de uma decisão consciente: Ao se completarem 60 anos da criação do Estado de Israel, uma reflexão sobre a situação dos judeus israelenses e os judeus da dispersão coloca em pauta a necessidade de uma “decisão consciente” quanto ao futuro do povo e do Estado judaicos. É uma questão que abrange vários aspectos, como o da legalidade política e ética do sionismo moderno, os desafios provocados pela ascensão do islamismo radical, os atentados e as ameaças a Israel e aos judeus de todo o mundo, vindos do Irã e de grupos extremistas, as dificuldades para o estabelecimento de um Estado palestino. Em síntese, são decisivos para o futuro de Israel e do povo judeu tanto a solução do conflito com o povo palestino – que coloca a questão de como chegar à paz sem comprometer a segurança – e com o mundo árabe, como o próprio modelo da existência de Israel e do comportamento do povo judeu, dentro e fora de Israel, como um só povo, o povo único que ele foi e tem sido ao longo de sua história.


FSP online (20/09/2009)


Estadão (20/09/2009)


ZH (20/09/2009)


CB (20/09/2009)


GP (20/09/2009)


Terra (20/09/2009)


G1 (20/09/2009)


Último Segundo (20/09/2009)


Uol Internacional / Mídia Global (20/09/2009)


BBC Brasil (19/09/2009)


Leia mais:


Veja mais:

19/09/2009

18/09/2009

Nenhum comentário: