Nosso Blog é melhor visualizado no navegador Mozilla Firefox.

Pesquisar este blog

Carregando...

Total de visualizações de página

Google+ Followers

Follow by Email

Perfil

Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Cláudia Andréa Prata Ferreira é Professora Doutora - Categoria: Associado III - do Setor de Língua e Literatura Hebraicas do Departamento de Letras Orientais e Eslavas da Faculdade de Letras da UFRJ.

Translate

Seguidores

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Borges: uma maneira judaica de narrar histórias


Os artigos sobre Israel sempre atualizados você encontra aqui.



Destaque 1

  • Viajantes do Tempo (27/10/2009): Sheila Sacks: Borges: uma maneira judaica de narrar histórias: Lançado em outubro pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), o livro “Borges e outros rabinos”, de Lyslei Nascimento, destaca e analisa a forte influência da escrita judaica no modelo narrativo presente nas obras do escritor argentino Jorge Luis Borges (1899-1986), ícone da literatura latino-americana do século XX. Professora de Literatura da UFMG, com pós-doutorado na Universidade de Buenos Aires, Lyslei coordena o Núcleo de Estudos Judaicos da universidade, é editora da revista digital “Arquivo Maaravi”, e responde pelo convênio de intercâmbio discente entre a UFMG e a “Academy of Art and Design“, de Jerusalém. Traduziu o livro “A Ficção Marrana”, do sociólogo argentino Ricardo Forster, e “Planetas sem Boca”, do poeta e ensaísta uruguaio Hugo Achugar. Em 2006 participou, em Israel, de dois seminários internacionais sobre memória e história da Shoah. >>> Leia mais, clique aqui.


Destaque 2

  • Observatório da Imprensa (27/10/2009): Sheila Sacks: Quem tem medo da notícia?: O Brasil galgou 11 posições no ranking mundial de liberdade de imprensa em 2009, de acordo com a pesquisa anual realizada pela ONG francesa Repórteres Sem Fronteiras (RFS) em 175 países, e divulgada em 20 de outubro. Está na 71ª colocação, melhor situado que a Venezuela (124ª) e Cuba (170ª), mas ainda bem abaixo de nossos vizinhos Uruguai (29ª), Chile (40ª) e Argentina (47ª). O relatório "Worldwide Press Freedom", elaborado a partir de questionários respondidos por jornalistas, juristas, ativistas de direitos humanos e organizações parceiras de cinco continentes, classifica a guerra como a maior ameaça e o pior cenário para a prática do livre exercício de veiculação de notícias. Dinamarca e Finlândia receberam a melhor pontuação. Para a RSF, a paz, mais do que a prosperidade econômica, garante a liberdade de imprensa. Daí, a queda abrupta de Israel, perdendo 47 posições, face ao conflito armado em Gaza, ocorrido no início deste ano. Em 2008, Israel ocupava o primeiro lugar entre os países do Oriente Médio a garantir as liberdades individuais e a integridade física dos profissionais de jornalismo, situação essa impossível de se manter quando em cenários conflagrados por combates e atos de terrorismo, cerceados por normas e segredos militares. A guerra, que vitimou três jornalistas e deixou 20 feridos, foi o principal argumento para a organização baixar a pontuação de Israel em 2009. Mas, mesmo ocupando a 93ª posição na tabela da RSF, abaixo dos Emirados Árabes (86ª) e Kuwait (60ª), a democracia israelense se mantém bem distante de regimes autocráticos como o do Irã – bombardeado com a 172ª colocação e ladeado pela Coreia do Norte, China, Birmânia, Eritreia e Cuba. >>> Leia mais, clique aqui.


FSP (28/10/2009)


FSP online (28/10/2009)


Estadão (28/10/2009)


Terra (28/10/2009)


G1 (28/10/2009)


Último Segundo (28/10/2009)


Uol Internacional / Mídia Global (28/10/2009)


Pletz (28/10/2009)


Aurora Digital (28/10/2009)


BBC Brasil (27/10/2009)


Em Cima da Hora (27/10/2009)


Jornal Nacional (27/10/2009)


Deutsche Welle (27/10/2009)


Leia mais:


Veja mais:

27/10/2009

26/10/2009

25/10/2009

Nenhum comentário: