Nosso Blog é melhor visualizado no navegador Mozilla Firefox.

Pesquisar este blog

Carregando...

Total de visualizações de página

Google+ Followers

Follow by Email

Perfil

Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Cláudia Andréa Prata Ferreira é Professora Doutora - Categoria: Associado III - do Setor de Língua e Literatura Hebraicas do Departamento de Letras Orientais e Eslavas da Faculdade de Letras da UFRJ.

Translate

Seguidores

quarta-feira, 10 de março de 2010

OEA alerta para ameaça a judeus

Os artigos sobre Estudos Judaicos e Israel sempre atualizados você encontra aqui.



Destaque 1

  • Editora Apicuri: A tríplice fronteira e a guerra ao terror: O livro de autoria de Arthur Bernardes do Amaral faz um estudo sobre as disputas políticas que ocorrem em torno da suposta atuação de agentes do terrorismo internacional ou de seus financiadores na região onde confluem as fronteiras de Brasil, Argentina e Paraguai. Trata-se de uma análise de como foram criados os discursos políticos que buscam vincular a área fronteiriça à imagem de um potencial foco de ameaça à segurança dos Estados Unidos. Após uma breve introdução sobre essa área, A Tríplice Fronteira e a Guerra ao Terror ainda trata da Política Externa do governo George W. Bush, do relacionamento histórico entre os Estados Unidos e o terrorismo político e, por fim, das formas de inserção da América Latina na agenda de segurança norte-americana. Na última parte da obra, é apresentado um amplo mapeamento das disputas políticas envolvendo a Tríplice Fronteira, entre os anos 1992 e 2008. Através das idéias apresentadas pode se identificar os métodos e as formas através das quais a região foi inserida na agenda norte-americana de Guerra ao Terror.


Destaque 2

  • Revista Espaço Acadêmico (março de 2010): O filho de Odin: a construção de si na autobiografia do líder neonazista David Lane (Adriana Dias): A proposta do presente artigo é pensar a trajetória de David Lane, associando etnografia e a experiência do método biográfico, por meio do trabalho de campo e também me valendo da “etnografia em ambiente hipermediado” (DICKS E MASON, 1998), para problematizar, nas diversas narrativas acerca dele (inclusive as autobiográficas), sua liderança no movimento neonazista.


Destaque 3

  • Metafísica, Mística e Linguagem na obra de Schcomo IBN Gabirol (Avicebron): Uma Abordagem Bergsoniana: Schlomo Ibn Gabirol foi um pensador judeu que viveu na Espanha sob o domínio islâmico. Sua obra se desenvolveu nos campos da metafísica, ética e poesia. O texto filosófico, escrito em árabe e traduzido ao latim como Fons Vitae, foi utilizado pelos filósofos cristãos medievais que, denominando-o Avicebron, desconheciam sua origem. Sua poesia, escrita em hebraico, foi incorporada à liturgia judaica. Em 1847, Salomon Munk descobriu tratar-se do mesmo homem o que permitiu a tentativa de identificação das diversas fontes que influenciaram as facetas da obra do autor, facilitando um contato maior com o núcleo central de suas idéias. A idéia que inspira este trabalho é a reconstrução da identidade do autor a partir da compreensão de sua obra como reflexo de uma busca mística. Para tal fim, utilizamos uma metodologia desenvolvida a partir das indicações de Henri Bergson, que entende a Intuição como método filosófico, a qual seria alcançada através de uma Imagem Mediadora.


O Globo (10/03/2010)


FSP (10/03/2010)


FSP online (10/03/2010)


Estadão (10/03/2010)

  • ISRAEL - Notícias, Fotos e Vídeos sobre Israel
  • Oriente Médio
  • País tem moral para atuar no Irã, diz Lula: O presidente brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, advertiu ontem em uma entrevista à agência Associated Press que a aplicação de sanções ao Irã por seu programa nuclear poderia levar a uma guerra. "Não quero que se repita no Irã o que ocorreu no Iraque", disse Lula ao ser questionado sobre os esforços das potências mundiais para aprovar uma nova rodada de sanções contra Teerã. Ele disse que a mensagem que tem transmitido a outros governantes, incluindo o presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, é que "é necessário evitar a qualquer custo que haja uma guerra, pois a quem interessa um conflito armado?" Ele defendeu o diálogo como saída para a questão palestino-israelense e a disputa nuclear iraniana. Na etapa final de seu segundo mandato, Lula assegurou que o Brasil terá um papel ativo no cenário mundial, envolvido nas negociações de paz no Oriente Médio e no impasse sobre o programa nuclear iraniano. Com relação às sanções, Lula disse que "o Brasil tem muita autoridade moral e política para discutir esse assunto, pois nosso país pertence a um continente no qual está abolida a possibilidade de ter armas nucleares". "Aqui se fala de paz, não de guerra", acrescentou. Ele destacou que o Brasil enriquece urânio para gerar energia e tratamentos médicos e é isso que defende para o Irã. O presidente fez as declarações antes de iniciar, no fim de semana, um giro por Israel, territórios palestinos e Jordânia. Lula também tem previsto visitar o Irã em maio, apesar das críticas dos Estados Unidos.
  • Israel aprova 1.600 casas em área palestina
  • Atraso em apuração causa suspeita no Iraque
  • OEA alerta para ameaça a judeus: A Comissão Interamericana de Direitos Humanos da OEA alertou ontem, em um relatório, para a "ameaça à vida e à integridade física dos membros da comunidade judaica na Venezuela". Segundo a comissão, o discurso antissemita ganhou força no governo do país e foram feitas investidas policiais contra entidades judaicas.


JB (10/03/2010)


CB (10/03/2010)


GP (10/03/2010)


Paraná online (10/03/2010)


Terra (10/03/2010)


G1 (10/03/2010)


Último Segundo (10/03/2010)


Uol Internacional / Mídia Global (10/03/2010)


Aurora Digital (10/03/2010)


BBC Brasil (09/03/2010)


Jornal da Globo (09/03/2010)


Leia mais:


Veja mais:

09/03/2010

08/03/2010

07/03/2010


Nenhum comentário: