Nosso Blog é melhor visualizado no navegador Mozilla Firefox.

Pesquisar este blog

Carregando...

Total de visualizações de página

Google+ Followers

Follow by Email

Perfil

Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Cláudia Andréa Prata Ferreira é Professora Doutora - Categoria: Associado III - do Setor de Língua e Literatura Hebraicas do Departamento de Letras Orientais e Eslavas da Faculdade de Letras da UFRJ.

Translate

Seguidores

terça-feira, 9 de março de 2010

''A Europa está submetida ao Islã''

Os artigos sobre Estudos Judaicos e Israel sempre atualizados você encontra aqui.



O Globo (09/03/2010)


FSP (09/03/2010)

  • Jacques Marcovitch: Mindlin e a USP
  • Israel inicia novas construções na Cisjordânia
  • Irã: Chanceler defende estreitar laços com Brasil e institucionalizar relação: Após reunião com o ministro brasileiro Sérgio Machado (Ciência e Tecnologia) em Teerã, Manouchehr Mottaki disse que a ampliação da amizade entre os países "beneficiará ambas as nações e não prejudicará nenhum terceiro país". "Hoje em dia, os dois países se apoiam, são conscientes de seu potencial e não aceitarão a interferência de outros." Machado, que antecede visita do presidente Lula ao Irã prevista para maio, destacou possibilidades de cooperação bilateral.
  • Ida de comissária da UE a Gaza pode ofuscar Lula: CLÓVIS ROSSI, COLUNISTA DA FOLHA. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva cairá, na semana que vem, em uma situação potencialmente explosiva no Oriente Médio, capaz de transformar em água com açúcar a polêmica em torno de sua recente visita a Cuba, que coincidiu com a morte do dissidente político Orlando Zapata Tamayo, o que provocou críticas a Lula em jornais que, até então, só louvavam o presidente brasileiro. Lula estará nos dias 16 e 17 em Israel e nos territórios palestinos, antes de ir à Jordânia no dia 18. Sua visita coincidirá com a de Catherine Ashton, comissária do Exterior da União Europeia, que viajará a Israel, Egito, Síria e Jordânia, começando exatamente no dia 17. O que torna a coincidência potencialmente explosiva é o fato de que Ashton pediu a Israel para viajar à faixa de Gaza, a parte do território palestino governada pelo Hamas (Movimento de Resistência Islâmica), grupo que figura na lista de agrupações terroristas da UE (e também dos Estados Unidos). "Estamos fornecendo uma grande quantidade de ajuda a Gaza, e estou muito interessada em me certificar de que [os habitantes da área] estejam vendo os benefícios dessa ajuda", justificou Ashton. Mas Israel tem negado sistematicamente autorização para autoridades viajarem a Gaza, sob bloqueio. Já negou a ministros da França, da Bélgica e da Turquia. Para tornar ainda mais complicado o cenário, o ministro sueco do Exterior, Carl Bildt, que tem assessorado a Autoridade Palestina (que governa a outra parte do território, a Cisjordânia), acena com a possibilidade de que Ashton entre em Gaza pelo Egito. Desvio de foco. É óbvio que essa situação desviará toda a atenção da mídia para ela, tirando os holofotes de Lula. Além de criar outro problema: o presidente seria inquirido sobre um eventual contato com o Hamas, como já aconteceu em janeiro com o chanceler Celso Amorim, durante estada em Genebra. Amorim foi reticente: disse que o Brasil tivera "um contato informal no passado" e acrescentou que, se ajudasse no processo de paz, "não excluiria" (a hipótese de contato). O governo israelense, como é óbvio, acha que não ajuda nada, tanto que tem vetado viagens a Gaza usando o argumento de que qualquer presença de autoridades na faixa governada pelo Hamas acaba sendo um sinal de reconhecimento ao grupo. O programa de Lula limita-se, pelo menos até agora, ao contato com a Autoridade Palestina, que também tem no Hamas um inimigo.


FSP online (09/03/2010)


Estadão (09/03/2010)


JB (09/03/2010)


ZH (09/03/2010)


CB (09/03/2010)


GP (09/03/2010)


Paraná online (09/03/2010)


Terra (09/03/2010)


G1 (09/03/2010)


Último Segundo (09/03/2010)


IHU (09/03/2010)

  • ''A Europa está submetida ao Islã'': O Oriente Médio está se esvaziando de cristãos. E a Europa está se enchendo de muçulmanos. Outros 50 milhões são esperados, segundo as estimativas oficiais da Comissão Europeia, dentro de 50 anos, em 2060, para "substituir" os 15% da população europeia trabalhadora, já envelhecida. Isso irá ocorrer por meio da Hijra, o conceito islâmico de migração. Em um sentido ou no outro, no Oriente e no Ocidente, o cristianismo deve enfrentar o seu declínio, enquanto o Islã prossegue no seu avanço. O jornal Le Monde Diplomatique de algumas semanas atrás enfrentou, em um amplo artigo de Patrick Haenni e Samir Amghar, o tema do "Islã conquistador, o mito que retorna". A última edição da revista Newsweek dedicou sua capa ao conceito de Eurábia, negando-o, na onda de otimismo gerado pela nova política de Obama com relação aos muçulmanos. Mas o atentado fracassado contra os "cruzados", que deveria ter feito um avião, que decolou da Europa em direção aos EUA, ter explodido pelos ares, exatamente no dia de Natal, atenuou os ânimos e repropôs perguntas e interrogações. E assim também os homicídios de cristãos no Oriente Médio e na África (que são quase notícia diária) e as polêmicas sobre os minaretes e sobre o véu na Suíça e na França, para não falar do avanço xenófobo na Holanda, notícia dos últimos dias. Bat Ye'or é a estudiosa do Islã à qual se deve a elaboração do conceito de Eurábia, tornado célebre na Itália pelos escritos de Oriana Fallaci. É o Islã – defende ela – a causa do declínio do cristianismo, começando pelo Oriente Médio. Depois, lança um apelo a cristãos e judeus para que não lutem uns contra os outros, fazendo assim o jogo jihadista. A reportagem é de Maria Antonietta Calabrò, publicada no jornal Corriere della Sera, 06-03-2010. A tradução é de Moisés Sbardelotto. Eis a entrevista.


Aurora Digital (09/03/2010)


BBC Brasil (09/03/2010)


Deutsche Welle (08/03/2010)


Em Cima da Hora (08/03/2010)


Em Cima da Hora (07/03/2010)


Leia mais:


Veja mais:

08/03/2010

07/03/2010

06/03/2010

05/03/2010

04/03/2010

03/03/2010

02/03/2010

01/03/2010


Nenhum comentário: