Nosso Blog é melhor visualizado no navegador Mozilla Firefox.

Pesquisar este blog

Carregando...

Total de visualizações de página

Google+ Followers

Follow by Email

Perfil

Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Cláudia Andréa Prata Ferreira é Professora Doutora - Categoria: Associado III - do Setor de Língua e Literatura Hebraicas do Departamento de Letras Orientais e Eslavas da Faculdade de Letras da UFRJ.

Translate

Seguidores

sábado, 6 de março de 2010

Atrás do passado sombrio do nazismo

Os artigos sobre Estudos Judaicos e Israel sempre atualizados você encontra aqui.



O Globo (06/03/2010)


FSP (06/03/2010)


FSP online (06/03/2010)


Estadão (06/03/2010)


JB (06/03/2010)

  • Israel: Conflito abala bairro muçulmano - Pág. 21
  • Al Qaeda declara toque de recolher para impedir pleito - Pág. 21
  • Caderno B: Atrás do passado sombrio do nazismo - Pág. 6: Na história do cinema, o diretor alemão Veit Harlan ocupa uma posição especialmente infame. Seu nome é associado ao filme Jew Süss, talvez o filme mais antissemita já produzido, sucesso de bilheteria na Alemanha nazista em 1940. que motivou, entretanto, Harlan a escrever e dirigir um filme desses? Ele acreditava realmente no nazismo, era um oportunista com ambições financeiras ou apenas um cineasta receoso demais para dizer não a Joseph Goebbels, chefe da propaganda nazista? Estas são algumas das questões que outro diretor alemão, Felix Moeller, aborda no documentário Harlan: in the shadow of Jew Süss“Harlan: à sombra de Jew süss”, em tradução literal), exibido recentemente num fórum de cinema em Manhattan. (...)O filme de Moeller incluiu alguns fragmentos do Jew Süss, que tem exibição comercial e venda em DVD ainda proibidas na Alemanha e em vários outros países europeus. Ambientado no século 18, o longa é uma pretensa dramatização da história real de como um esperto e ameaçador financista judeu, Joseph Süss Oppenheimer, toma controle do ducado de Vurtemberg enquanto abusava sexualmente de uma moça pura indoeuropeia, interpretada pela esposa de Harlan, Kristina Söderbaum. A grandeza do filme de Moeller, entretanto, consiste de entrevistas com descendentes de Veit Harlan, forçados a viver com o estigma de Jew Süss. >>> Leia mais, clique aqui.


Paraná online (06/03/2010)


Terra (06/03/2010)


G1 (06/03/2010)


Último Segundo (06/03/2010)


Uol Internacional / Mídia Global (06/03/2010)


Aurora Digital (06/03/2010)


Jornal Nacional (05/03/2010)


Leia mais:


Veja mais:

05/03/2010

04/03/2010

03/03/2010

02/03/2010

01/03/2010


Nenhum comentário: