Nosso Blog é melhor visualizado no navegador Mozilla Firefox.

Pesquisar este blog

Carregando...

Total de visualizações de página

Google+ Followers

Follow by Email

Perfil

Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Cláudia Andréa Prata Ferreira é Professora Doutora - Categoria: Associado III - do Setor de Língua e Literatura Hebraicas do Departamento de Letras Orientais e Eslavas da Faculdade de Letras da UFRJ.

Translate

Seguidores

quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Israel x Gaza x Oriente Médio (126) .... A verdadeira desproporção

O Globo, Segundo Caderno, página 10, em 15/01/2009.


A guerra perdida

Cora Ronái


Há tempos não vejo guerras de opinião tão virulentas quanto as que se têm travado em torno da guerra de Gaza, sobretudo na internet, onde cada um diz o que quer, recusa-se a ouvir o que não quer e a subsequente gritaria abafa qualquer vestígio de raciocínio porventura existente.


Notem que digo “raciocínio”, porque me parece impossível, nas atuais circunstâncias, chegarmos a qualquer coisa sequer remotamente parecida com “razão”.


No momento, nada que se diga ou se mostre em favor de Israel terá qualquer efeito.


Para além da presente guerra propriamente dita, há outra que, há tempos, foi perdida pelo país — cuja capacidade de fazer propaganda, ao contrário do que acredita tanta gente, é inversamente proporcional ao seu poderio militar.


Além da amizade com os Estados Unidos, vilão preferido de meio mundo, e do questionável rótulo de “direita” que lhe foi pespegado, há uma série de fatores culturais e políticos que atuam permanentemente contra Israel. Para ficar apenas num ponto de óbvio apelo emocional, seus mortos e feridos nunca são filmados ou fotografados, salvo em hospitais ou caixões e, ocasionalmente, pela imprensa estrangeira. Os mortos tampouco são exibidos em procissões; eles têm sido, atentado após atentado, guerra após guerra, mortos que se contam em números — mas o que é um número diante da foto de uma criança morta?! Ao mesmo tempo, ao longo dos últimos anos, quando foguetes do Hamas eram lançados sobre o sul de Israel, as crianças iam para abrigos subterrâneos, e não para o meio da rua, providencialmente armadas com estilingues.

Ora, a foto de uma escola (vazia) destruída por um “míssil caseiro” (seja isso lá o que for) não tem uma fração do impacto da foto de um garoto de estilingue diante de um cenário de destruição.


Isso não justifica matança alguma, seja de um lado, seja de outro; mas o fato é que se criou, assim, a singular percepção de um povo intrinsecamente mau e sanguinário, que ataca criancinhas por pura maldade, contra um povo intrinsecamente bom e coitado, que só explode civis por falta de escolha.


Por ser um país desenvolvido cercado de vizinhos em diferentes estágios de “civilização”, Israel paga, guardadas as devidas proporções, o preço que a classe média paga, no Brasil, em relação à criminalidade nas comunidades carentes: para uma certa visão míope, é sempre a culpada, porque, em tese, nessa forma enviesada de análise, os bandidos são sempre inocentes — são apenas pobres reagindo à desigualdade social (o que, claro está, é uma baita ofensa à imensa maioria dos pobres, que sofrem na miséria sem nunca pensar em delinquir). Enquanto isso, os verdadeiros culpados pelas desigualdades, lá como cá, não são mencionados nem en passant — e, ainda que o fossem, continuariam onde sempre estiveram, ou seja, nem aí.


Já os líderes mundiais que não perderam tempo em se declarar contra a “reação desproporcional” de Israel pouco estão se lixando para o sofrimento das vítimas. Se a sua preocupação fosse realmente humanitária, o Sudão, por exemplo, não sairia das manchetes; só que as vítimas do Sudão não dão ibope.

Quando a China entrou de sola no Tibete, ainda outro dia, ouviram-se, no máximo, ligeiros resmungos protocolares — e, ainda assim, só porque o Dalai Lama é um veinho carismático, com bom trânsito em Hollywood.

Isso sem falar no antissemitismo, que, invariavelmente, aproveita para dar as caras quando tem a ótima desculpa de uma guerra para acobertá-lo. “Israelense” e “judeu” não são sinônimos: há incontáveis cidadãos israelenses que não são judeus, como há milhões de judeus que não são israelenses. Ainda assim, os dois termos se equivalem para efeitos de noticiário, de artigos, de posts enraivecidos em blogs. Seria até compreensível se a mesma equivalência servisse para “palestinos” e “muçulmanos”, mas esta é sempre cuidadosamente evitada. Às vezes, o uso (ou a omissão) das palavras revela muito mais do que o seu significado.

Apoiar os palestinos, o Hamas, o Hezbollah e os países árabes de modo geral é chique, é bacana e é uma garantia de popularidade com a soi-disant “esquerda”. Israel não terá o apoio da intelligentsia — que em geral é de uma extrema covardia e ignorantsia — nem se for completamente aniquilado, como quer o Hamas.


Aí ainda vamos ouvir o “fizeram por onde” que tanto se disse em relação ao ataque ao WTC; as Nações Unidas vão fazer tsk, tsk, o Papa vai condenar vagamente o exagero — e estaremos conversados.


Mas a verdade é que eu nem devia estar falando sobre isso. Minha opinião é descartada de saída em qualquer discussão a respeito do Oriente Médio: como venho de uma família dizimada pelo Holocausto, sou suspeita e, portanto, não posso me manifestar.


Cansei de ouvir isso até de pessoas supostamente inteligentes — e, de cansada, não discuto mais. Se o que você diz não vale nada a priori, o mais sensato é seguir os conselhos do professor Higgins e falar apenas sobre o tempo e a saúde.


Como é, tem feito muito calor por aí?


O Globo, Mundo, página 26, em 15/01/2009.


A verdadeira desproporção

Não conheço outra nação que avise onde e quando vai bombardear


Carlos Alberto Montaner


Os israelenses estão sendo acusados de sofrerem poucas baixas em seus confrontos com terroristas do Hamas. Os que argumentam isso em geral usam palavras como “desproporcional” ou a“assimetria” em tom de indignação.


Ao escrever esta coluna, cerca de mil palestinos morreram ou foram feridos como resultado dos bombardeios, as perdas israelenses estão por volta de uma dúzia.


Os que criticam Tel Aviv — de quem um odor antissemita frequentemente sobe — não dizem se Israel deveria aumentar sua cota de cadáveres ou reduzir a cota árabe para alcançar uma proporção razoável de sangue. Nem especificam o número moralmente permitido de baixas para encerrar a chuva de foguetes que por anos tem caído sobre a cabeça de civis israelenses.


Essa demanda por “proporcionalidade” só pode ser chamada de surpreendente. Até o conflito começar, livros de História sempre expressaram satisfação e até um certo orgulho chauvinista quando o Exército de uma nação infligia um grande número de baixas ao inimigo, com um baixo preço pago por “nossos rapazes”.


Israel é o único país que esperase que aja de outra forma, e de fato age. Não conheço outra nação que avise onde e quando vai bombardear, permitindo que civis evacuem o território. Nisso age de forma assimétrica, já que os terroristas do Hamas nunca anunciam onde ou quando vão lançar seus foguetes contra civis.


Israel não tem interesse em causar mortes. Tudo o que quer é deter os ataques do Hamas da única maneira que pode: eliminando os terroristas e destruindo seus arsenais. Não há outro meio de lidar com eles. O Hamas não é uma organização política com a qual acordos possam ser alcançados, mas uma gangue fanática com a intenção de varrer Israel do mapa. Para atingir seu objetivo, seus membros estão dispostos a transformar seus filhos em bombas humanas.


Aqui há outra assimetria.


Os judeus constroem abrigos subterrâneos nas casas perto da fronteira. Fecham as escolas e escondem as crianças ao menor sinal de perigo. Protegem os civis das consequências da guerra. Em contraste, autoridades em Gaza disparam suas metralhadoras irresponsavelmente para o ar para expressar alegria ou tristeza (causando numerosos feridos), não hesitam em instalar seus quartéis-generais ou esconder armas em escolas, usam escudos humanos, voltam-se para homensbomba e recompensam as famílias de tais “mártires” com dinheiro.


Uma semana antes de o Hamas romper a trégua e retomar o ataque de foguetes (o que deflagrou o conflito), eu estava em Israel para uma palestra em Tel Aviv. Visitei o Centro Médico Wolfson para ver o programa “Salve o coração de uma criança”. É uma fundação devotada a cirurgias cardíacas em crianças pobres, a maioria do mundo árabe.


Testemunhei a chegada de uma menina de 5 anos que precisava ser operada de emergência. Ela era trazida pela mãe, uma mulher com a cabeça coberta por um véu negro, e pelo marido, que olhava maravilhado a indescritível gentileza com a qual médicos tratavam a criança. A família vinha de Gaza.
Desde que a guerra começou, eu me pergunto o que aconteceu a eles.


CARLOS ALBERTO MONTANER é escritor e jornalista cubano, ex-preso político. É um dos autores do “Manual do Perfeito Idiota LatinoAmericano” e vice-presidente da Liberal International, dedicada à defesa da democracia e da economia de mercado. Ele escreveu este artigo para o Washington Post



O Globo, Mundo, página 27, em 15/01/2009.


A vitória ou o martírio, duas formas de vencer

Militantes do Hamas relatam que o grupo ainda tem forças para lutar e dizem que o êxito também vem pela morte


Taghreed El-Khodary e Sabrina Tavernise

Do New York Times


CIDADE DE GAZA. O militante do Hamas estava de chinelos, não tomava banho havia dias e estava vivendo de tâmaras secas. Mesmo assim, estava de bom humor, pois terça-feira era dia de pagamento.
Por mais que o braço militar do Hamas esteja encurralado, com mais de mil palestinos mortos em 18 dias de luta, ele e mais dois jovens dizem que o grupo não está morto.


Em entrevistas separadas, os três relataram como suas vidas desaceleraram, mas não pararam.


Eles recebem o soldo em dólares americanos (Gaza sofre uma falta de shekels israelenses, e aparentemente dólares estão sendo trazidos do exterior).


Os três tinham ido visitar feridos nos hospitais e falaram sobre como o Hamas estava se adaptando, mudando suas táticas para sofrer menos baixas.



— Não estamos correndo atrás deles como antes — disse o combatente de chinelos, um membro júnior do Hamas, responsável por instalar bombas, mas ainda não autorizado a lançar foguetes. — Dez vão para o confronto com eles.


Não 100, como antes.


Celulares desativados por medo de rastreamento

O militante tem 22 anos, é formado em psicologia e usa óculos. Ele usa chinelos porque se feriu em combate e não consegue usar sapato fechado.


Ele deu a entrevista do lado de fora de um hospital, com a bateria e o cartão de memória fora do celular por temor de que pudesse ser rastreado pelo Exército israelense.


Ele aprendeu a lição depois de um ataque em que morreu um amigo seu, que estava falando ao celular.


Sobre a famosa rede de túneis que cruza o território, disse que Israel destruiu muitos, “mas não todos”.


Num ponto diferente da cidade, outro jovem combatente e sua mulher se preparavam para visitar o irmão dela, de 20 anos, ferido dois dias antes no sudoeste da Cidade de Gaza ao levar comida para os colegas.


O radical, de 27 anos, vestindo jeans escuros e botas, discursou sobre o Islã e sobre seu dever para com o povo.

— É vencer enquanto vivo ou o martírio — disse. — Ambos são formas de vitória. Sua mulher, vestindo um véu branco, concordou.


— Há dois dias, ele estava muito cansado e não queria sair de casa — contou. — Eu disse: “Você tem de sair, você tem um dever.” Mas a visão de seu irmão inconsciente no hospital pareceu trazer ao casal uma nova realidade, da qual estavam com medo e os deixou vulneráveis.


Do lado de fora, a mulher se recompunha.


— Prefiro você como mártir — disse ao marido.


— E se eu me ferir? — perguntou ele.


Ela repetiu sua preferência pela morte.


Ele citou a acusação de que os militantes do Hamas se escondem entre civis. Os combatentes, de certo modo, são ambos, ele argumentou, e são tidos por muitos moradores como defensores. As pessoas levam comida a eles, disse.


— Sou um civil e sou um combatente — disse.

O radical de óculos argumenta que as forças israelenses os isolaram num território tão pequeno que basicamente há civis em todos os cantos. O militante diz ter ouvido que morreram apenas 50 membros do Hamas e outros do grupo Jihad Islâmica.


Segundo a Inteligência de Israel, foram mortas algumas centenas de militantes.


O jovem estava com medo, disse. Mas tinha um truque para superá-lo: — Bebo água e rezo — disse.


E então saiu para receber o pagamento.


Veja mais:

15/01/2009

Israel x Gaza x Oriente Médio (125) .... A meta israelense

Israel x Gaza x Oriente Médio (124) .... A Hamas no le importan los muertos

Israel x Gaza x Oriente Médio (123) .... O anti-semitismo passará a falar a linguagem antiimperialista

14/01/2009

Israel x Gaza x Oriente Médio (122) .... A milonga homicida do Hamas

Israel x Gaza x Oriente Médio (121) .... Se não for um terrorista, é um pum

Israel x Gaza x Oriente Médio (120) ... Abu Yussef: palestino escolheu ser informante de Israel

Israel x Gaza x Oriente Médio (119) .... Israel: O direito à autodefesa

Israel x Gaza x Oriente Médio (118) .... Mapas de Israel ignoram fronteira com Cisjordânia; palestinos deletam Tel Aviv

Israel x Gaza x Oriente Médio (117) .... Na mira do Hamas

Israel x Gaza x Oriente Médio (116) .... Sem refúgio além da Faixa de Gaza / A fase mais difícil do conflito

Israel x Gaza x Oriente Médio (115) .... O principal inimigo de Israel nesta guerra é a ONU (Reinaldo Azevedo)

Israel x Gaza x Oriente Médio (114) .... Conflito na Faixa de Gaza vira guerra de informações

Israel x Gaza x Oriente Médio (113) .... Apoio de israelenses a ofensiva é quase integral

13/01/2009

Israel x Gaza x Oriente Médio (112) .... Faixa de Horror

Israel x Gaza x Oriente Médio (111) .... Duas lentes, um mesmo conflito através de fotos

Israel x Gaza x Oriente Médio (110) .... Líderes religiosos no Brasil pedem paz no Oriente Médio

Israel x Gaza x Oriente Médio (109) .... Gaza (Ali Kamel)

Israel x Gaza x Oriente Médio (108) .... Defesa do terrorismo como princípio político. Nada será como antes.

Israel x Gaza x Oriente Médio (107) ...."Inimigos dos palestinos são seus dirigentes extremistas" (Bernard-Henri Lévy)

Israel x Gaza x Oriente Médio (106) .... Divisões no Hamas e em Israel levam ofensiva a impasse

Israel x Gaza x Oriente Médio (105) .... Como medir proporção?

Israel x Gaza x Oriente Médio (104) .... O que pode e o que não pode (Reinaldo Azevedo)

Israel x Gaza x Oriente Médio (103) .... As motivações de Israel para a guerra (Ely Karmon)

12/01/2009

Israel x Gaza x Oriente Médio (102) .... Lanzan bomba incendiaria contra Asociación Cultural Israelita en Uruguay

Israel x Gaza x Oriente Médio (101) .... A recaída do Itamaraty em Gaza (Sérgio Malbergier)

Israel x Gaza x Oriente Médio (100) ....Dê a Israel uma oportunidade (Rafael L. Bardají)

Israel x Gaza x Oriente Médio (99) .... Gaza: hora de golpear o terrorismo (Gustavo Ioschpe)

Israel x Gaza x Oriente Médio (98) .... Fisk como exemplo de isenção? Chamem o chefão do Hamas!!!!

Israel x Gaza x Oriente Médio (97) .... O Outro Lado da Guerra (Comunidade na TV)

Israel x Gaza x Oriente Médio (96) .... Dez teses sobre o ódio

Israel x Gaza x Oriente Médio (95) .... Aos poucos, aparecem os métodos e tramóias do Hamas

Israel x Gaza x Oriente Médio (94) .... Suicidas e antissemitas

11/01/2009

Israel x Gaza x Oriente Médio (93) .... Árabes e judeus que vivem no Brasil falam sobre o conflito e brasileiros vivem drama no Oriente Médio

Israel x Gaza x Oriente Médio (92) .... Analistas veem limitação em gestões do Brasil na região

Israel x Gaza x Oriente Médio (91) .... "A opinião mundial não nos salvará"

Israel x Gaza x Oriente Médio (90) .... Truth or propaganda?

Israel x Gaza x Oriente Médio (89) .... A Paz cansada de guerra

Israel x Gaza x Oriente Médio (88) .... Hitler and the Hamas in Gaza: Find the differences

Israel x Gaza x Oriente Médio (87) .... Israel pode, sim, vencer desta vez

10/01/2009

Israel x Gaza x Oriente Médio (86) .... "Os terroristas preferem o amor à guerra" (Hã??? Jura????!!!!!)

Israel x Gaza x Oriente Médio (85) ....Como ocorre o confronto em Gaza – do lado israelense e do lado do Hamas

Israel x Gaza x Oriente Médio (84) .... Israel não pode (e não vai) perder a guerra contra as forças da intolerância religiosa

Israel x Gaza x Oriente Médio (83) .... Militantes de Hamas e Fatah entram em choque

Israel x Gaza x Oriente Médio (82) ....Conflito é um beco com saída para a paz

Israel x Gaza x Oriente Médio (81) ....Crianças como escudos humanos

09/01/2009

Israel x Gaza x Oriente Médio (80) ....Leitores de Emir Sader acham que Hitler foi bonzinho e humano com os judeus

Israel x Gaza x Oriente Médio (79) ....Fundamentalismos

Israel x Gaza x Oriente Médio (78) .... A paz entre árabes e judeus no Rio

Israel x Gaza x Oriente Médio (77) ....Você é judeu? Então eu sou judeu

Israel x Gaza x Oriente Médio (76) .... O conflito do Hamas em cores (Giora Becher)

Israel x Gaza x Oriente Médio (75) ....Shimon Peres: 'O mundo, no fim, nos agradecerá'

Israel x Gaza x Oriente Médio (74) ....Intolerância e ódio (Bernardo Sorj)

Israel x Gaza x Oriente Médio (73) .... A guerra em Gaza em debate

Israel x Gaza x Oriente Médio (72) ....Resposta pública da FIERJ a situação atual

Israel x Gaza x Oriente Médio (71) ....Parcerias entre o Brasil e Oriente Médio (2006-2009)

08/01/2009

Israel x Gaza x Oriente Médio (70) .... Isso não é uma foto, é uma vigarice ultrajante

Israel x Gaza x Oriente Médio (69) .... Life must go on in Gaza and Sderot

Israel x Gaza x Oriente Médio (68) .... Quem é quem manda no Oriente Médio?

Israel x Gaza x Oriente Médio (67) .... Nota do PT sobre Israel: A Hitler o que é de Hitler

Israel x Gaza x Oriente Médio (66) ....Questão da 2ª fase da Fuvest aborda conflito entre Israel e palestinos

07/01/2009

Israel x Gaza x Oriente Médio (65) ....Soldados treinaram antes em cidade simulada no sul

Israel x Gaza x Oriente Médio (64) .... Qual é a melhor proporcionalidade? A absoluta. Então...

Israel x Gaza x Oriente Médio (63) .... Israel revida críticas do Vaticano que comparam Gaza a campo de concentração

Israel x Gaza x Oriente Médio (62) ....La comunidad judía de Brasil apoya a Israel desde los medios de comunicación

Israel x Gaza x Oriente Médio (61) .... Treinamento militar para crianças?

Israel x Gaza x Oriente Médio (60) .... Chávez, um verdadeiro humanista (???!!!!???)

Israel x Gaza x Oriente Médio (59) ....Israel luta por futuro de sua existência; Palestinos, para existir no presente

Israel x Gaza x Oriente Médio (58) .... A nota da “OLPT” / A carne barata das crianças palestinas / Mudar as palavras

Israel x Gaza x Oriente Médio (57) ....Como definir o que são alvos válidos?

Israel x Gaza x Oriente Médio (56) .... Israel querer sobreviver é proporcional

Israel x Gaza x Oriente Médio (55) .... Porque Israel está atacando o Hamas?

06/01/2009

Israel x Gaza x Oriente Médio (54) .... Violência ou diálogo? - Reflexões psicanalíticas sobre terror e terrorismo

Israel x Gaza x Oriente Médio (53) .... Batalha urbana começa

Israel x Gaza x Oriente Médio (52) .... Malbergier: As barbaridades sobre Gaza

Israel x Gaza x Oriente Médio (51) .... Bernardo Sorj: Oriente Médio: o caminho da paz não passa pelo maniqueísmo

05/01/2009

Israel x Gaza x Oriente Médio (50) ....Reportagens no JN (05/01/2009)

Israel x Gaza x Oriente Médio (49) ....E Israel entrou com as tropas em Gaza

Israel x Gaza x Oriente Médio (48) ....Negociar? Com quem? e ainda Palestinian legal adviser gets owned by Fox

Israel x Gaza x Oriente Médio (47) ....Gaza in Jewish History

Israel x Gaza x Oriente Médio (46) ....A batalha da desinformação

Israel x Gaza x Oriente Médio (45) ....Ações são recomendáveis (A.Dershowitz) e Fuvest aborda conflito no Oriente Médio

Israel x Gaza x Oriente Médio (44) .... Sim ou não à existência de Israel? Essa é a primeira questão. Eu digo “sim”

Israel x Gaza x Oriente Médio (43) .... Gaza: Israel sitia a capital

Israel x Gaza x Oriente Médio (42) .... Shalem Scholars Provide Analysis, Commentary on War in Gaza (The Shalem Center)

Israel x Gaza x Oriente Médio (41) .... What Really Happened In The Middle East - Terrorism Awareness Project

Israel x Gaza x Oriente Médio (40) ....Israel quer controlar cidades-chave em Gaza

Israel x Gaza x Oriente Médio (39) ....Israel divide Gaza em duas partes

Israel x Gaza x Oriente Médio (38) .... Brasileiros vivem no meio do conflito na Faixa de Gaza

04/01/2009

Israel x Gaza x Oriente Médio (37) ....Israel, Hamas, and moral idiocy by Alan Dershowitz

Israel x Gaza x Oriente Médio (36) .... Can the Jewish People Survive Without an Enemy?

Israel x Gaza x Oriente Médio (35) ....Israel's Policy Is Perfectly 'Proportionate' by Alan Dershowitz

Israel x Gaza x Oriente Médio (34) ....A bomba demográfica que assusta Israel

03/01/2009

Israel x Gaza x Oriente Médio (33) .... Sorte, isso mesmo, pode definir destino da operação em Gaza, diz historiador israelense

Israel x Gaza x Oriente Médio (32) ....Começa o ataque terrestre a Gaza, diz jornal israelense

Israel x Gaza x Oriente Médio (31) .... E a guerra chega ao oitavo dia...Até qdo?

Israel x Gaza x Oriente Médio (30)....Leituras e Notícias

Israel x Gaza x Oriente Médio (29) ....Sugestões de publicações

Israel x Gaza x Oriente Médio (28) ....Trabalhos acadêmicos

02/01/2009

Israel x Gaza x Oriente Médio (27) ....Mais sobre a manifestação na Avenida Paulista

Israel x Gaza x Oriente Médio (26) ....Es-Israel.Org

Israel x Gaza x Oriente Médio (25) .... Manifestação na Avenida Paulista por guerra em Gaza

Israel x Gaza x Oriente Médio (24)....A guerra continua e a mídia corre atrás....

Israel x Gaza x Oriente Médio (23)....A guerra continua: uma sexta-feira nada santa

Israel x Gaza x Oriente Médio (22).... E no sétimo dia não há descanso, a guerra continua

Israel x Gaza x Oriente Médio (21).... Vídeos: Foguetes em Sderot

01/01/2009

Israel x Gaza x Oriente Médio (20)...Mais ataques...foguetes...protestos

Israel x Gaza x Oriente Médio (19)....Mais foguetes em Israel....Saramago e Gaza

Israel x Gaza x Oriente Médio (18) ....Mídia?! Então o que realmente deve ser feito?

Israel x Gaza x Oriente Médio (17)....Chuva de foguetes em Israel

31/12/2008

Israel x Gaza x Oriente Médio (16)...Brasília: protesto contra ataques à Faixa de Gaza

Israel x Gaza x Oriente Médio (15)....Palestinos: Manifestação termina em confusão em Brasília

Israel x Gaza x Oriente Médio (14) .... Paz na região ficou mais distante

Israel x Gaza x Oriente Médio (13) .... Palestian Media Watch

Israel x Gaza x Oriente Médio (12) .... Israel exibe no YouTube as imagens de ataques

Israel x Gaza x Oriente Médio (11)...15 segundos (vídeo)

Israel x Gaza x Oriente Médio (10)

Israel x Gaza x Oriente Médio (9)

Israel x Gaza x Oriente Médio (8)

Israel x Gaza x Oriente Médio (7) .... Mais mídia e ainda "Ashkelon hospital moves its essential departments underground"

30/12/2008

Israel x Gaza x Oriente Médio (6)

Israel x Gaza x Oriente Médio (5)

Israel x Gaza x Oriente Médio (4)

29/12/2008

Israel x Gaza x Oriente Médio (3)

Israel x Gaza x Oriente Médio (2) ... O conflito e a Mídia

Israel x Gaza x Oriente Médio (1)....Panorama do OM e primeiras manifestações do conflito na mídia

Israel x Gaza (Vídeos)

Comerciais do Hamas 24-28 dezembro de 2008

Chanceler alemã responsabiliza Hamas por ofensiva israelense

Faixa de Gaza: Mortos em ataques passam de 300

Enough Is Enough

Israel expande ataque a Gaza

28/12/2008

Israel mata 225 em Gaza

Israel X Gaza (Panorama em 28/12/2008)

22/12/2008

Israel e Hamas engrossam o discurso e tensão aumenta no Oriente Médio: Hamas já lançou mais de 60 foguetes contra Israel em quatro dias. Governo israelense avisou a ONU que irá responder ataques. >>> Leia mais em G1, em 22/12/2008.

Nenhum comentário: